Notícias da Paraíba

Pesquisadores da UFPB lançam em Nova Iorque projeto da ONU com tecnologia paraibana

Pesquisadores paraibanos da Universidade Federal da Paraíba participam nesta terça-feira (26), em Nova Iorque (EUA), do lançamento da Data Diplomacy Academy – em português, a Academia de Diplomacia de Dados, projeto do Instituto das Nações Unidas para Formação e Pesquisa (Unitar), que será um espaço permanente para promover soluções em ciência, tecnologia e inovação para o desenvolvimento em três áreas da política internacional: segurança, multilateralismo e energia. É justamente neste último campo que os pesquisadores da UFPB tem se destacado com uma contribuição central, por meio da Plataforma Enetrix.

A aplicação paraibana está incluída como um dos projetos fundamentais desta iniciativa global. “É um orgulho muito grande poder fazer parte dessa história e oferecer como referência, para o Brasil e o mundo, a ciência e a tecnologia que partem de nossa terra. Nosso projeto está conectado com organismos que têm o objetivo de fazer a revolução humana que é necessária para que a gente tenha novos dias e novos caminhos dentro das relações internacionais”, pontua o professor do departamento de Relações Internacionais da UFPB Iure Paiva, um dos autores do projeto.

O Coordenador do Gesene (Grupo de Estudos em Segurança Energética) Iure Paiva estará presente em Nova Iorque com comitiva formada ainda pelo presidente da startup DiploData, Antonio Henrique Pires, e do professor de Relações Internacionais da UFPE, Rafael Mesquita. A ação é coordenada pelo Instituto das Nações Unidas para Treinamento e Pesquisa (UNITAR), cujo atual chefe do escritório, o embaixador Marco Suazo, participou virtualmente de uma conferência realizada em João Pessoa no último dia 14 de março. Durante o evento ele confirmou que conta com a tecnologia da Enetrix para o desenvolvimento do multilateralismo mundial e como peça fundamental para alcançar um dos objetivos de desenvolvimento sustentável.

O workshop de lançamento da Data Diplomacy Academy está dividido em duas partes. Na primeira, marcada para às 10 horas, acontece a cerimônia que reunirá autoridades e parceiros para apresentar o programa. Na segunda parte haverá uma exposição aos participantes de conteúdos mais detalhados sobre as capacidades da Academia de Diplomacia de Dados. É durante esta sessão que os pesquisadores brasileiros darão uma visão geral da Plataforma Enetrix, informando sobre o conteúdo, recursos e formato, demonstrando as ferramentas de dados e suas aplicações.

O projeto paraibano será utilizado neste centro de conhecimento e treinamento para auxiliar diplomatas e outras partes do sistema da ONU com as ferramentas e know-how necessários para aproveitar o potencial da revolução da ciência de dados. A intenção é tornar o trabalho em organizações multilaterais mais inteligente, amplo e equitativo em todo o sistema, buscando levar esses benefícios de forma acessível a todos, além de utilizar essas informações para produzir novas percepções sobre o funcionamento e dinâmica da ONU.

A Academia de Diplomacia de Dados permite que diplomatas, funcionários civis internacionais e outras partes extraiam insights acionáveis de conjuntos de dados complexos e tomem decisões baseadas em evidências, formulem políticas mais eficazes e negociem com maior precisão e previsão. Os participantes do lançamento serão apresentados a todos os recursos que a iniciativa tem a oferecer, incluindo acesso antecipado às ferramentas digitais, amostras do conteúdo de conhecimento e oportunidades de networking com outros parceiros do projeto.

A missão brasileira na ONU tem agenda intensa confirmada para a semana inteira nos Estados Unidos. Além do lançamento Data Diplomacy Academy, os pesquisadores terão reuniões de trabalho com a UNITAR e a Universidade de Columbia, além de encontros bilaterais com os diplomatas brasileiros nas Nações Unidas e outras agências e representantes de delegações da organização. Para esses encontros estarão presentes ainda o vice-coordenador do projeto, Rafael Magalhães, a gerente do projeto, Yuska Paola Costa Aguiar, a integrante do Gesene, Amanda Sousa Galvíncio, além do professor da UERJ, Renan Holanda Montenegro.

Plataforma Enetrix
A Plataforma Enetrix foi desenvolvida para acompanhar e analisar acordos internacionais, promovendo a cooperação energética mundial. O projeto é financiado pelo Governo do Estado da Paraíba, por meio da Secretaria de Ciência, Tecnologia, Inovação e Ensino Superior (SECTIES), com acompanhamento da Fundação de Apoio à Pesquisa do Estado da Paraíba (Fapesq).

Essa é uma iniciativa única no mundo que une dois aspectos fundamentais para o desenvolvimento global: segurança energética, para fornecimento de energia de forma sustentável; e diplomacia, ou seja, como os países, estados e cidades se integram para suprir suas demandas ao firmar acordos de cooperação entre eles. Dentro de um cenário atual de transições energéticas, o projeto faz parte das iniciativas brasileiras voltadas a atender demandas que vão desde a produção ao consumo sustentável de energia.

Nesse contexto, o objetivo geral do projeto tem sido garantir a segurança energética em diferentes níveis de governança em que atua. A plataforma passa a contribuir fortemente para as metas de Desenvolvimento Sustentável propostas pela ONU dentro da agenda 2030, especialmente os ODS 7 (energia limpa) e ODS 17 (cooperação internacional em ciência e tecnologia). Atualmente, a plataforma Enetrix está em desenvolvimento em uma versão inicial, que abrange acordos internacionais do Brasil de 1990 a 2021, que podem ser acessados por meio de filtros de pesquisa.

Assessoria

WhatsApp
Telegram
Twitter
Facebook
Digite o assunto de seu interesse: