Notícias da Paraíba

Ney Suassuna paga R$ 190 mil de pensão alimentícia após ter prisão determinada pela Justiça

O ex-senador paraibano Ney Suassuna teve a prisão decretada nesta sexta-feira (7) por falta de pagamento de pensão alimentícia ao filho de 12 anos. Horas após a determinação, o político pagou o montante que devia e teve a prisão suspensa.

A informação é da colunista da Folha de S. Paulo Mônica Bergamo.

A decisão, da juíza Isabelle Ibrahim Brito, da 1ª Vara de Família e Sucessões do Tribunal de Justiça de São Paulo (TJ-SP), havia determinado que o ex-parlamentar ficasse preso por 30 dias. O caso corre em segredo de Justiça.

A ação foi movida por Raquel Suassuna, ex-mulher do político, que cobra dele cerca de R$ 190 mil. O valor da pensão alimentícia mensal foi fixado em 25 salários mínimos mensais, o equivalente a cerca de R$ 35 mil.

Ney entrou com recurso, alegando que o filho teria patrimônio próprio e que ele não precisaria pagar a pensão alimentícia. O pedido, entretanto, foi negado pela Justiça em dezembro do ano passado.

O filho vive com a mãe em Portugal desde 2019. Segundo a advogada Katia Vilhena, que faz a defesa de Raquel, Ney Suassuna vem se negando a pagar a pensão desde dezembro.

O advogado Elvis Paes, que faz a defesa de Ney Suassuna, diz que “a decisão é precipitada porque o prazo de justificativa sequer começou”.

com Folha de S. Paulo

WhatsApp
Telegram
Twitter
Facebook

Mais lidas

1

Homem é morto a tiros no estacionamento do Habib’s no bairro dos Bancários, em João Pessoa; suspeitos são presos
Digite o assunto de seu interesse: