Notícias da Paraíba

Luto na imprensa esportiva: narrador Silvio Luiz morre aos 89 anos

Morreu na manhã desta quinta-feira (16) o narrador esportivo Silvio Luiz, aos 89 anos de idade, em São Paulo. A informação foi confirmada pelo Hospital Oswaldo Cruz, localizado na região central da Capital Paulista. O jornalista foi hospitalizado no último dia 8 de maio e estava na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) em ventilação assistida.

“O Hospital Alemão Oswaldo Cruz informa que o paciente, Sr. Sylvio Luiz Perez Machado de Sousa, 89, faleceu às 9h40, em decorrência de falência de múltiplos órgãos. O narrador esportivo e jornalista estava internado na UTI (Unidade de Terapia Intensiva). O Hospital lamenta o falecimento, a direção, equipe médica e assistencial se solidarizam com os familiares e amigos neste momento de dor”, diz o comunicado emitido pela unidade de saúde.

Silvio Luiz foi internado inicialmente no último dia 7 de abril após passar mal enquanto narrava a final do Campeonato Paulista, entre Palmeiras e Santos para o canal digital da Rede Record ao lado dos humoristas Bola e Carioca. Ele apresentou dificuldades para falar, foi levado ao hospital, onde ficou internado até o dia 30 de abril, quando teve alta. Na época, a Record informou que o narrador teve uma indisposição durante a transmissão.

Nascido em 14 de julho de 1934, Silvio Luiz começou a carreira em 1952, fazendo participações em radionovelas. Como locutor, iniciou sua trajetória na Rádio Record. Passou pela Rádio Bandeirantes e na extinta TV Paulista foi o primeiro repórter de campo da imprensa esportiva brasileira.

Silvio também foi árbitro de futebol. Ele foi um dos assistentes na partida de inauguração definitiva do Estádio do Morumbi, em 1970.

Outra faceta de Silvio Luiz era a atuação. Como ator, participou de duas novelas: “Éramos seis” e “Cela da morte”, ambas na TV Record.

Trabalhou, também, nas Rádios Jovem Pan e Transamérica. Passou por Rede TV, Band e SBT, onde também foi apresentador do programa de prêmios “Gol Show”.

Ícone da narração esportiva, Silvio Luiz se notabilizou pelo jeito irreverente, irônico e descontraído nas locuções de futebol. Ele é dono de bordões que marcaram época e são lembrados até hoje, como: “Olho no lance”, “Acerte o seu aí, que eu arredondo o meu aqui”, “Confira comigo no replay”, e “É mais um gol brasileiro, meu povo”.

Imprensa esportiva de luto
Silvio Luiz é o terceiro profissional da imprensa esportiva a morrer em menos de 24 horas.

Na noite dessa quarta-feira (15), faleceu o radialista, repórter, jornalista esportivo e comentarista Washington Rodrigues, aos 87 anos, no Rio de Janeiro. Também conhecido como Apolinho, ele lutava contra um câncer agressivo. Um dos principais repórteres da história do rádio, Washington comandava o “Show do Apolinho” na Rádio Tupi.

Morre o radialista Washington Rodrigues, o Apolinho, aos 87 anos

Washington também era comentarista titular da equipe de esportes da rádio e tinha a coluna “Geraldinos e Arquibaldos” no Jornal Meia Hora, de conteúdo leve e bem-humorado.

Carismático, criou várias expressões populares como “Geraldinos e Arquibaldos”, “Pau com formiga”, “Pinto no lixo”, “Briga de cachorro grande”, entre muitas outras.

Apaixonado pelo Flamengo, teve duas passagens pelo clube: em 1995, como treinador, onde conquistou o vice-campeonato da Supercopa Libertadores, e em 1998, como diretor de futebol.

Já na madrugada desta quinta-feira (16), morreu o comentarista da ESPN Antero Greco, aos 69 anos, em decorrência de um tumor cerebral. Internado no Hospital Beneficência Portuguesa, em São Paulo, o jornalista já não respondia mais a estímulos e se alimentava por sonda.

O jornalista vinha enfrentando a doença desde junho de 2022, tendo realizado cirurgias e sessões de radioterapia nos últimos anos. Ele foi internado algumas vezes e foi submetido a procedimentos para tratar do “corpo estranho” na cabeça, como costumava chamar a doença.

Antero Greco foi um dos jornalistas mais respeitados da crônica esportiva brasileira, com passagens pelo Diário Popular, Diário de S. Paulo, Estadão, Folha de S. Paulo, Grupo Bandeirantes, entre outros veículos.

Na ESPN Brasil desde sua implantação, em 1994, o jornalista ganhou popularidade à frente do programa “Sportscenter”, ao lado de Paulo Soares, o Amigão, formando uma dupla de bom humor e grande repercussão e audiência na TV por assinatura.

da Redação com UOL e CNN Brasil

WhatsApp
Telegram
Twitter
Facebook

Mais lidas

1

Imagens de satélite mostram antes e depois da destruição na Grande Porto Alegre
Digite o assunto de seu interesse: