Notícias da Paraíba

Leticia Albuquerque

Formada em Direito pela Universidade Federal da Paraíba, advogada e conciliadora da Justiça Federal na Paraíba.

Instagram: @adv.leticia.albuquerque

Detox digital

“Você precisa se desafiar”, me disseram. Bom, é verdade, todo mundo precisa. Porém, qual seria o meu desafio? Aprender a andar de bicicleta aos 33 anos? Não, por enquanto não tenho vontade, nem necessidade. Já sei! Escrever em primeira pessoa para mim é um grande desafio. Espero conseguir com êxito. Outro grande desafio é fazer o que as pessoas têm chamado de detox digital.

Nas últimas semanas, circulou nos noticiários a seguinte frase: “Éramos felizes e não sabíamos”. O autor, Alexandre de Moraes, Ministro do Supremo Tribunal Federal, referia-se às nossas vidas antes das redes sociais. Justo ele – apelidado nas redes sociais por “Xandão”. A fala foi dita na semana em que o Ministro entrou em conflito com “Elon Muskaô” ou “Elon Musk que nada” … A internet não perdoa, não deixa passar uma.

Eu até concordo com Alexandre, mas não tenho muita propriedade para argumentar, porque antes do advento das redes sociais eu era uma criança e tinha tempo e energia para fazer o que quiser, e além da imaginação de brincar do que quiser, nada de joguinhos online. Sim, eu era feliz! Nesse aspecto ele tem razão.

Hoje em dia a internet e as redes sociais tem as suas vantagens e desvantagens.  É bom ser uma pessoa informada, mas às vezes, o algoritmo te leva para cada besteira, por exemplo: separação de casais de famosos, Big Brother Brasil e afins, resumo de novelas, chás milagrosos que eliminam 10 kg em uma semana, horóscopo – o guru mandou dizer para o signo de leão que ele terá um mês abençoado. Espero que o guru esteja certo! Eu acho graça. E me afastem de notícias falsas,  X,  Tik Tok, cassinos on-line ou qualquer coisa parecida porque eu não quero saber. Tempo é uma preciosidade e muita gente não se dá conta.

Uma vez, ocorreu-me um fato engraçado. Um número telefônico da Coréia do Sul me contatou para ganhar dinheiro curtindo e comentando os vídeos da Marvel. Segui os comandos, ganhei um pix de 10 reais e perdi um dia da minha vida. A ideia é pagar o povo para engajar nas redes sociais os produtos da Marvel. A que ponto você chegou, Marvel? Que bom que eu não sou mais adolescente. Acho que a mesma lógica é usada para aquelas novelinhas românticas que aparecem no Instagram que dá vontade de saber o final, mas só Deus sabe como termina.

O Instagram também tem sua importância. Nos deixa informados de notícias relevantes, serve de canal para diversas instituições e o que dirá para os pequenos empreendedores? Uma grande vitrine! A desvantagem é o excesso de tempo que a gente gasta com o aplicativo, é o excesso de informação que a gente se expõe, é a dissonância entre virtual e realidade. Sabe aquelas declarações bregas e falsas de amor? Nas redes é o maior romance, mas por trás há traições.

Agora faço um adendo: quanta gente feia que fica bonita com os filtros? Às vezes, nem é feia, só fica irreconhecível. Fake news de si mesmo. Eu tenho medo disso acontecer comigo, sinceramente… Uma vez, conheci um rapaz culto, intelectual e muito gente fina que ganhou fama nas redes sociais com suas poesias, e agora que virou digital influencer só compartilha idiotice (parece que o povo gosta de uma idiotice) e ainda por cima ficou arrogante com os que antes o admiravam. És la vida!

É por isso que dar um tempo nas redes sociais com frequência e ter uma vida mais substancial se faz tão necessário, sobretudo para a saúde mental. Neste contexto, foi inventado o detox digital, que consiste em reduzir a quantidade de tempo de uso de redes sociais e telas no geral. O Hospital Israelita Albert Einstein, em um artigo, já alertou sobre os prejuízos do uso excessivo das telas, podendo trazer dependência e estar associado à transtornos psicológicos.

Isso é verdade! Até alguns meses, meu tempo de tela ultrapassava 8 horas por dia, nessa época eu estava um pouco deprimida e, por não ter vontade de fazer nada, gastava meu tempo no celular. Quando me dei conta que isso estava virando um problema, desativei meu perfil no Instagram. No início, era angustiante e eu fiquei bastante ansiosa. Pegava no celular de instante em instante e simplesmente troquei o Instagram por outros aplicativos.

Aos poucos, fui esquecendo a existência do celular, colocando no modo off-line e me dedicando as minhas atividades pessoais, profissionais e de autocuidado. Hoje o tempo de tela não ultrapassa três horas por dia. Três horas por dia no celular ainda é muito, não é? Mas, em dias normais, resolvemos muitas coisas por este dispositivo, então está razoável. É uma sensação de liberdade se desvencilhar de algo viciante. O Einstein também listou outros benefícios: estreitar os laços entre as pessoas, aumentar a criatividade e a produtividade, melhorar o sono, entre outros.

E vocês no que precisam se desafiar? Que tal um detox digital?

* Os textos e vídeos dos colunistas não refletem, necessariamente, a opinião do Portal Paraíba Dia a Dia.

WhatsApp
Telegram
Twitter
Facebook

Mais lidas

1

Homem é morto a tiros no estacionamento do Habib’s no bairro dos Bancários, em João Pessoa; suspeitos são presos
Digite o assunto de seu interesse: