Notícias da Paraíba

Acusados de matar e concretar mulher na PB vão a júri popular nesta quinta-feira (16)

O município de Pedras de Fogo, localizado na Zona da Mata Paraibana, foi palco por um crime bárbaro que deve ter seu desfecho nos tribunais nesta quinta-feira (16). Carlos Antônio da Silva, conhecido como “Caio”, e Sérgio Francisco da Silva vão a júri popular pelo homicídio de Luydiana Jamelle Miranda Barreto. O julgamento será presidido pela juíza Higyna Josita Simões de Almeida, titular da Vara Única da Comarca.

O crime foi cometido por Sérgio, companheiro da vítima, com a ajuda do irmão dele, Carlos. A crueldade se intensifica pelo fato de que o corpo de Luydiana foi escondido dentro da própria residência, concretado na cama do casal.

De acordo com a denúncia, no dia 4 de outubro de 2023, os irmãos espancaram Luydiana, causando-lhe graves lesões por todo o corpo, especialmente na parte posterior da cabeça, o que impossibilitou qualquer chance de defesa. A morte foi causada por asfixia mecânica por estrangulamento, conforme constatado na Certidão de Óbito. O corpo da vítima foi encontrado apenas no dia 11 de outubro de 2023, oculto em uma estrutura de concreto sob a cama do casal.

A rapidez na pronúncia dos réus, apenas seis meses após suas prisões, foi destacada pela juíza Higyna Josita como um importante avanço na busca pela responsabilização dos agressores, especialmente em casos de violência doméstica contra a mulher. A magistrada também chamou atenção para a ausência de pedido prévio de medida protetiva da Lei Maria da Penha em favor da vítima, sublinhando a necessidade de melhorias nos mecanismos de proteção às vítimas de violência doméstica.

com T5

WhatsApp
Telegram
Twitter
Facebook

Mais lidas

1

Imagens de satélite mostram antes e depois da destruição na Grande Porto Alegre
Digite o assunto de seu interesse: